Games Históricos: Bioshock Infinite

Terceiro episódio da série criada para a sétima geração de videogames, Bioshock Infinite foi uma das mais agradáveis surpresas do ano de 2013. Aportado nos consoles XBox 360, PlayStation 3 e PCs, a aventura em primeira pessoa impressiona do início ao fim. Seja pela incrível qualidade gráfica, seja pelo enredo envolvente e surpreendente. Horas muito prazerosas diante da TV.

A trama gira em torno de Booker Dewitt, pistoleiro de aluguel que é contratado para deixar a nossa obscura superfície terrestre para ir até a cidade flutuante de Columbia sequestrar/resgatar a jovem Elizabeth, que vive isolada de tudo e de todos no alto de uma gigantesca estátua de anjo. Personagens carismáticos, capazes de fazer com que o jogador inevitavelmente se apegue aos seus temores e dramas. A trama do jogo ainda envolve discussões sobre fanatismo religioso,centralização do poder, preconceitos de diversas formas e as teorias sobre fendas no tempo e ligações entre dimensões.

A equipe da 2K e da Irrational Games produziram um enredo digno de um grande livro de ficção futurista/retrô (uma vez que a história se passa no distante ano de 1912), capaz de desafiar a sua mente a compreender as muitas indas e vindas da histórias e todos os paradoxos que ela envolve. Um clássico, um verdadeiro livro interativo.Bioshock-Inifinite-Capa-e-contracapabioshock-handyman bioshock-infinite bioshock-infinite-elizabeth-wallpaper-36 BookEliz cityinthesky__ONLINE_wideuse screenshots-bioshock-infinitebioshock-infinite-screenshot-57-for-xbox-360-videogamer-xzgwfuqz WALLPAPER_wide_IdealLizV2 wMXyVMQbioshock_infinite__elizabeth_by_dp_films-d6jfjq8

Gostou? Veja um dos trailers de lançamento:

Anúncios

Um comentário sobre “Games Históricos: Bioshock Infinite

  1. Boa resenha Ivan,concordo que foi uma surpresa no sentido de Columbia ser uma versão visualmente oposta de Rapture,e pela feiura do mundo estar escondida por trás da aparência estonteante,diferente da cidade sub aquática do primeiro game.Mas quem jogou o primeiro sabe do potencial da 2K e do Ken Levine como criador e não se surpreendeu tanto no sentido da qualidade.O game 2 não foi tão foda porque o Levine não quis trabalhar no título por já ter apresentado e explorado Rapture o suficiente,e ele juntamente com o time responsável abriram mão do projeto para não se repetirem,então apesar do 2 ser muito bom não tem a mesma potência e profundidade dos outros títulos.Infinite e o primeiro Bioshock dispensam comentários,e jogando as DLCs do Infinite os momentos “mindblowing” se multiplicam por mais de 9000.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s